Depois de muitas reclamações dos moradores do bairro Granja Guarani em Teresópolis , Região Serrana do Rio, o terreno do mirante, chamado Quiosque das Lendas, agora pertence ao município. A decisão irá facilitar a manutenção do local que está abandonado e aguardando reparos. Segundo Leonardo Calazans, diretor da Associação de Moradores e Amigos da Granja Guarani (Amaag), há anos o local deixou de ser ponto turístico e se tornou ponto de venda de drogas e prostituição.
Segundo a prefeitura, o terreno do mirante de 1.800 m² pertence ao município e o Registro em Cartório da área doada ao município foi resultado de uma sentença judicial, em março de 2011, tendo como autor o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ).
“A associação agradece o empenho dos poderes executivo e judiciário que sempre se mostraram parceiros na luta da comunidade do bairro pela restauração do mirante”, disse Leonardo, esperando que medidas para melhorar a situação da Granja Guarani sejam feitas em breve.
Com relação às medidas de conservação do terreno, a prefeitura informou que uma emenda parlamentar, obtida pela secretaria de Cultura junto à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) , inseriu no orçamento 2013 do Estado mais R$ 1.500. “Os recursos seriam suficientes para a obra de restauração, ajardinamento e para a construção de um prédio administrativo da Cultura no terreno, viabilizando a ocupação e administração do espaço”, disse trecho da nota enviada pela prefeitura para o G1 .
Mirante Granja Guarani Teresópolis
Reforma do Mirante 
Apesar da municipalização do terreno representar um avanço nas melhorias do bairro, a Amaag ainda aguarda a reforma do Quiosque das Lendas, de responsabilidade do Inepac. “Está largado. O local precisa ser reformado e o seu entorno também”, criticou Leonardo, lembrando que o Mirante é um importante ponto turístico.
G1 voltou a entrar em contato com o Inepac, questionando quando o local será reformado e qual o valor das intervenções no local e foi informado que, somente este mês, o instituito recebeu a confirmação do cartório de que foi efetivada a doação do terreno à prefeitura e que, com essa notícia, será possível desenvolver os projetos de restauração do Mirante.
Desde a sentença do MP, ficaram previstos recursos orçamentários no valor de R$ 500 mil, liberados pelos Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur), para a restauração do Mirante. No entanto, o Inepac diz que, com o detalhamento dos projetos para o local, terá a previsão real do custo da obra e o cronograma de sua execução.