terça-feira, setembro 24, 2013

Trabalho do curso de Direito do UNFESO propõe auxílio para comunidade da Granja Guarani



Um grupo de estudantes do oitavo período do curso de Direito do Centro Universitário Serra dos Órgãos (UNIFESO) está levantando as necessidades da comunidade da Granja Guarani. Empenhado em encontrar soluções e mecanismos que contribuam na resolutividade de alguns problemas, o grupo visitou a localidade e preparou um relatório, entregue a docentes do curso para análise. A próxima visita dos acadêmicos está prevista para este mês de setembro.
A atividade faz parte do estágio na área trabalhista do Núcleo de Prática Jurídica (NPJ). No dia 13 de agosto, o grupo formado pelos acadêmicos Anna Gallo, Paula Fraga, André Canto, Thalita Cardoso, Viviane Assis, Flávia Regina e Joana Monteiro foi recebido pelo presidente Armindo Coelho e por diretores da Associação de Moradores e Amigos da Granja Guarani (AMAGG), participou de atividades e debates com eles e visitou o local onde a entidade pretende construir sua sede própria; além de conhecer importantes pontos turísticos do bairro: o Mirante da Granja Guarani e o Lago Iacy. “São lugares que estão abandonados e os moradores lutam para recuperar”, contou a estudante Anna Gallo. Segundo ela, “o maior problema que observamos foi que a AMAGG não tem uma sede. Tivemos que conversar na sala de uma igreja onde guardam as doações, sendo que muitas delas acabam sendo recusadas justamente por não se ter a estrutura de uma sede”.

Entre outros problemas apontados pelos estudantes estão a falta de um transporte para levar crianças para atividades físicas no bairro do Meudon – onde uma escolinha de futebol disponibilizou o espaço para os jovens – e o descaso das autoridades com os pontos turísticos. Esta primeira reunião, com a intenção de apenas identificar as necessidades, deixou os estudantes encantados e surpresos com empenho da comunidade. “Vimos que os moradores têm muita iniciativa, se juntam nos fins de semana para fazer reparos no bairro por conta própria, ao invés de esperar por soluções só por parte da prefeitura”, destacou a estudante Paula Fraga. A avaliação dos estudantes foi entregue às professoras Kátia de Oliveira Brites e Ana Lucia Torres dos Santos, orientadoras do trabalho, que como próximo passo vão apresentar e discutir com o grupo possibilidades para contribuir com estas questões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário