terça-feira, dezembro 18, 2012

AÇÃO DA AMAGG PODE RESULTAR NA RECUPERAÇÃO DO LAGO E DO MIRANTE


Os alertas que a AMAGG a sua diretoria vem fazendo há tempos sobre o descaso do Poder Público para com dois dos principais pontos turísticos da cidade, o Mirante da Granja Guarani (que os mais antigos preferem chamar de Carramanchão) e o Lago Iacy (que os mais antigos preferem chamar de Lago do Saldanha), finalmente ganharam eco na cidade.
O assunto já foi alvo de inúmeras reportagens, na imprensa teresopolitana e também na mídia estadual, mas, agora, ao que tudo indica, começamos a mexer com os brios de pessoas direta e indiretamente ligadas à política local, o que por si só traduz uma inversão de valores, o que nós, moradores e freqüentadores do bairro até iremos relevar, pois o que nos interessa é a recuperação dos monumentos.
Os debates sobre o tema revelaram bastidores que envolvem a política cultural e turística do município, ou melhor,a tentativa de se implementar uma gestão responsável do setor e as pedras no meio do caminho para sua concretização.
Até aí, novidade nenhuma, porque cultura, turismo, esporte e meio ambiente (não necessariamente nessa ordem) geralmente são as pastas menos aquinhoadas nos orçamentos municipais país afora. Em contrapartida, sabemos que há verbas disponíveis e quase sempre não utilizadas no Estado e na União para a implantação de projetos nessas áreas, notadamente para os municípios que são estâncias turísticas, como é o caso de Teresópolis.
 Aí é que deveria entrar em ação o bom gestor público. Para se obter essas verbas é necessário elaborar e apresentar os projetos nas respectivas secretarias estaduais e ministérios. Há um emaranhado burocrático a ser superado e a necessidade de acompanhamento de cada passo da solicitação de recursos. Dá trabalho, mas não é difícil. O que não pode é ficar no gabinete esperando a verba cair do céu.
Paralelamente à essa “verba técnica” há a possibilidade de obtenção de recursos através das chamadas emendas parlamentares. Essa é a “verba política”, muito mais fácil de ser obtida, e  que só depende da boa vontade do prefeito, vereadores, deputados e outros entes políticos que podem solicitá-la através de seus partidos na Assembléia Legislativa ou no Congresso Nacional.
O bom para nós, da Granja Guarani, é que o assunto ganhou contornos que até não esperávamos, mas, foi o suficiente para notícias alentadoras, como a levantada por Luciano Zimbrão, que teria ouvido de alguém próximo do prefeito (pelo menos assim imagino), que a recuperação do Lago estaria nos planos do alcaide já no próximo mês.
Ainda é incipiente o debate sobre a também mais do que necessária recuperação do Mirante. Tanto de um lado quanto de outro há interesses particulares que precisam ser sepultados para o bem público.
Aguardamos ansiosamente para o desfecho positivo nos dois casos. Caso contrário, mantenho minha sugestão à AMAGG de uma manifestação popular em frente à Prefeitura, fechando a reta e não a liberando até uma manifestação oficial favorável ao bairro e ao município. Não acredito que isso será necessário, mas, se o for, pode ter certeza que os cerca de 400 quilômetros que me separam do bairro que nasci estarão tão longe quanto os 40 centímetros que separam dois passos meus.     

Nenhum comentário:

Postar um comentário