quarta-feira, dezembro 01, 2010

Teresópolis perde com desleixo em pontos turísticos da Granja Guarani


Com muito orgulho temos, em nosso bairro, dois importantes pontos turísticos tombados pelo INEPAC – Instituto Estadual do Patrimônio Cultural quanto pela LOA – Lei Orgânica Municipal.
Estamos falando do Mirante da Granja Guarani (também conhecido como Quiosque das Lendas, e ainda chamado pelos moradores mais antigos de “carramanchão”) e do Lago Iacy (que os mais antigos chamavam de Lago do Saldanha).
Pois bem, apesar dos dois locais serem protegidos legalmente por duas legislações, uma estadual e outra municipal, lamentavelmente, eles se encontram abandonados, mal tratados, pichados, depredados e alvo de desocupados e usuários de drogas.
São dois belíssimos espaços que estamos perdendo em função da inércia das autoridades em fazer cumprir a própria lei, afinal, repetimos, os patrimônios estão tombados, e isso pressupõe que deveriam estar protegidos.
Ao mesmo tempo, nosso bairro carece de área de lazer e, tanto o mirante quanto o lago poderiam servir para este fim.
Nesta postagem, vamos nos ater ao Mirante da Granja, em outra oportunidade, em breve, falaremos do Lago Yacy. Os dois têm uma enorme importância histórica, cultural e social para o bairro e para a cidade e merecem tratamento diferenciado. A intenção é cobrar e auxiliar o Poder Público na recuperação desses patrimônios.
O Mirante foi erguido a mando do loteador do bairro, Arnaldo Guinle, em 1929. Trata-se de uma rara e bela arquitetura circular, em um dos pontos mais altos do bairro, de onde se tem uma privilegiada vista do Dedo de Deus e de bairros próximos como a Granja Comary, Alto e até parte da Várzea, entre outros.
A estrutura é revestida com azulejos raríssimos pintados pelo artista português, Jorge Colaço, e que, unidos em cores fortes e vibrantes, principalmente o azul e o branco, retratam quatro lendas indígenas brasileiras: “O dilúvio”, “Como Apareceu a Noite”, “A moça que saiu para procurar marido”, e “O Anhangá e o Caçador”.
Portanto, trata-se de um monumento de extrema importância e que já está com mais de 80 anos.
Como o monumento encontra-se, salvo engano, em terreno particular, precisamos checar as reais responsabilidades de sua manutenção.
O certo é que, se recuperado, o Mirante tem tudo para voltar a ser um local de extremo aconchego, digno da visitação turística e, se devidamente explorado, pode resultar, inclusive, em atrativo com geração de emprego e renda.
Para nós, o Mirante é tão importante que, mesmo depredado, serve de plano de fundo na abertura deste blog.
Neste ano, a Secretaria Municipal de Turismo garantiu que seu restauro seria iniciado ainda m 2010, mas, até agora, o projeto não saiu do papel.
Por que não foi iniciada a recuperação? Com a palavra o secretário Michel Al Odeh.

5 comentários:

  1. CESAR RODRIGUES1.12.10

    CONVOCAÇÃO Á PARTE NOBRE DA GRANJA GUARANI

    A Granja Guarani e a Pedreira não são somente lugares de problemas estruturais e sociais graves.
    Uma parte do bairro (a de cima)em quase sua totalidade é composta por excelentes condomínios e casas isoladas de alto padrão.
    Sempre foi assim. Até meados dos anos 70, quando morei no bairro, inúmeras vezes frequentei uma belíssima casa na parte alta do bairro.
    Nela morava o dramaturgo Domingos de Oliveira e eu e meus primos Sidnei (já falecido) e Ivan éramos amigos dos filhos deste dramaturgo, o Igor e o Frederico.
    O Sidnei (que era um excelente violonista,instrumento que aprendeu a tocar com o meu tio Domingos) inclusive, participou de um dos filmes do escritor. Daí a nossa amizade com os filhos dele
    Domingos de Oliveira, que também foi marido da não menos famosa atriz Leila Diniz, é autor de inúmeras peças teatrais, mini séries nacionais que passavam na TV Globo e roteiros de filmes de cinema.
    A Casa em que moravam era luxuosa (e acredito que ela ainda exista), com direito a caros móveis de madeira, lareira e até uma piscina de água natural, represada de um rio que sai do Parque Nacional.
    Faço este relato também para convocar os moradores de maior poder aquisitivo do bairro a colaborar com a associação. A AMAGG também representa a parte nobre do bairro.
    Afinal, os problemas dos mais pobres, acabam refletindo também nos mais ricos.
    Até para checar às suas casas, eles precisam passar pela mesma entrada de lajota usada pelos mais pobres.
    A única diferença é que, após o portal de entrada da Granja, normalmente, os mais ricos viram à esqueda e os mais pobres, à direita. Mas, somos vizinhos, moramos no mesmo bairro.
    Em breve, como antecipamos, trataremos da questão do Lago Iacy, que tem na sua vizinhança condomínios luxuosos e as tais nobres mansões.
    Taí um exemplo clássico de problema em comum entre os dois extratos sociais a ser resolvido.
    Aguardamos uma manifestação dos amigos da parte mais nobre da Granja.
    Saudações a todos.
    Cesar Rodrigues
    Jornalista
    São Sebastião-SP

    ResponderExcluir
  2. Anônimo1.12.10

    Parabens pela Historia da Granja Guarai me emocionei lendo com esse relato,eu tomei muito banho de cachoira no famoso poço do Tarzan ,onde tinha um cipó,que balançavamos até cai no meio do Poço,atualmente moro no Rio de Janeiro ,e morei no Sitio Isadof,que era muito conhecido pela rapasiada que adora inverte o nome do Sitio,meus parentes ainda estão por lá,no sitio tambem tem um mirante parecido com o original.Sou empresario viajo muito,se eu tivesse tempo conserteza estaria ai com voçes nesta luta maravilhosa um abraço a todos.
    Carlos Saldanha
    Rio de Janeiro RJ

    ResponderExcluir
  3. MARCIO LAGO1.12.10

    Bacana recordar os amigos de muito tempo atras,tambem tomei muito banho de cachoeira que não tinha condominio a entrada era de Graça e mais para cima do Poço,tinha mas cachoira com uma Ponte e uma cachoira mas embaixo.mas omais emocionante era furar para entrar no Parque Nacional Tinha um guarda que morava na Pedreira como nome de senhor Fernando ,que quando pegava a garotada aliviava quem morava na pedreira ,epoca boa autoridades vamos reforma o nosso Mirante e o Lago Iaci,Hoje neste mundo Cruel,as crianças não vão ter nem historia para contar para os seus Netos,como eu conto para os Meus.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo1.12.10

    Senhor Prefeito vamos colaborar coma historia da nossa cidade!!!!!
    UM FORTE ABRAÇO ATODOS DA GRANJA GUARANI,ME CONVIDA PARA A FESTA DE NATAL,VALEU SEU VADIM JUNIOR.
    João

    ResponderExcluir
  5. ``Uma cidade não dá valor a sua Historia jamais terá Futuro´´ Como puderam demolir a casa da entrada da Granja? pura falta de respeito com a historia do bairro e da cidade. Abisurdo.

    ResponderExcluir