quinta-feira, setembro 23, 2010

Finalmente chegou à Granja Guarani a Operação Cidade Bela!!

- Secretaria de Obras e Serviços Públicos atendeu ao Pedido constante da AMAGG
A equipe vermelha trabalhou na Granja Guarani, na Rua Alameda Maués, Quirino Simões e hoje começou na José Bonifacio e na Praçinha do Bairro.
A AMAGG pede o auxílio da população para que observe o descarte correto de lixo. Garrafas pet, materiais plásticos descartáveis e papelão, se jogados na rua acabam sendo levados pelo vento ou chuva para as bocas de lobo e bueiros, causando o entupimento da rede de esgoto.

A AMAGG somos todos nós. A Associação de Moradores é a forma mais simples de organização coletiva com capacidade de articulação social e política não partidária em defesa dos interesses da sociedade. A Associação está a nosso alcance e nos oferece a oportunidade de organização necessária para interferirmos, coletivamente, nos processos decisórios das diversas instâncias de poder seja no Executivo, no Legislativo ou no Judiciário.A força da Associação de Moradores está no seu grau de mobilização. Por isso é fundamental a sua participaçãoFilie-se à AMAGG, venha debater com a gente as questões que fazem a diferença no seu dia-a-dia O transporte está ruim? Falta segurança? Estão desrespeitando a Lei do Silêncio e te enlouquecendo? Não adianta reclamar sozinho. Venha lutar coletivamente. Se o bairro é nosso, a luta é nossa.

5 comentários:

  1. Anônimo23.9.10

    Parabens Fernando, nunca em toda a historia da Granja Guarani uma ASSOCIAÇAO, trabalho tão Bem Parabens a todos os diretores
    Denise

    ResponderExcluir
  2. Anônimo24.9.10

    sou moradora da rua candido alves de azevedo queria saber quando vai chegar lá

    ResponderExcluir
  3. Anônimo24.9.10

    Gostaria mesmo é de parabenizar o pessoal do blog pela brilhante idéia de sua criação. Graças à inserção da Granja Guarany na internet, tenho a possibilidade de rever e ter informações sobre o bairro onde nasci e cresci. Meu nome é Cesar Rodrigues, sou jornalista e resido atualmente em São Sebastião, no Litoral Norte do Estado de São Paulo. Tenho 47 anos, portanto, nasci em 1962 e morei na Granja Guarany até o final do ano de 1976, quando deixei para trás um lugar prá lá de aprazível e uma infância com cheiro de mato que ficou impregnado em minha alma. Com muito orgulho, sou da família Rodrigues Teixeira. Ainda tenho muitos parentes aí na Granja, todos moradores dos arredores do Largo do Machadinho. Quem é da minha geração, vai se lembrar do menino que tinha, no termo clínico "um abcesso no nariz" e que todos chamavam de "Birruguinha", este sou eu. Os mais antigos também se lembrarão do meu falecido pai, o "Seo Antonio", ou "Toninho Marreta", apelido que recebeu dos tempos que trabalhava duro na costrução civil como pedreiro. Também se lembrarão da minha mãe, ainda viva e forte, graças a Deus, a "Dona Maria". As tias Nair e Candinha ainda devem estar por aí. A tia Palmira, soube, faleceu recentemente. Nos primeiros 15 anos de minha vida que morei na Granja Guarany, vivíamos sempre juntos, com nossas casas, separadas por algumas ruas. Lembro que fui um dos primeiros estudantes da escolinha do bairro. Também estudei no Euclides da Cunha e no Ginda Bloch, no Alto. Na minha época não havia drogas e nem violência. No máximo uma ou outra discussão com alguém que bebia um pouquinho a mais no bar do meu tio Domingos. foi uma infância espetacular, com os verões refrescados por incontáveis banhos na piscina do Parque Nacional ou nas cachoeiras dentro e fora do parque. Lembro muito bem que me destaquei como um exímio mergulhador nas altas pedras dessas cachoeiras. Tenho saudades do tempo que alugava cavalos para o "Seu Argemiro", vizinho de nossa casa aí na granja e que também era funcionários do Parque, assim como "Seo Manuel", igualmente nosso vizinho e funcionário do Parque. ainda trago na memória o gosto de uma fruta que chamávamos de "azedinha" e que havia em abundância no bairro. Hoje, sei que esta fruta nada mais é do que a Cambuci. Lembro-me das brincadeiras nas ruas até após o escurecer, sem nenhum perigo. recordo-me dos invernos rigorosos, com temperaturas próximas de zero grau. Tenho inúmeras outras lembranças que, se alguém quiser recordar, posso contar em outras postagens. Por enquanto, gostaria de mandar um grande abraço para amigos de minha geração. Prefiro não citar nomes, por enquanto, pois, na verdade, nem sei quantos estão vivos ou morando aí na Granja. Um abraço a todos.

    ResponderExcluir
  4. Carlos Henrique de Lima25.10.10

    pois é birruguinha, os anos se passaram e a granja guarani continua linda, bastante modificada. Seus parentes continuam com saúde graças a deus, fiquei muito entristecido quando soube do falecimento do seu pai tuninho marreta muito amigo do meu também falecido pai zé nabo ambos parceiros em muitas aventuras. Fico feliz de saber que a sua mãe esta com saúde, nós moradores da granja guarani gostariamos de contar com a sua presença qualquer dia desses muito obrigado com as suas visitas ao nosso site um beijo e um abraço do seu amigo kiko sei que voce não me conhece tenho 40 anos mas gostaria de te conhecer até breve.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo5.11.10

    Como morador, diretor da Associação e altamente critíco desta gestão pública estou sensibilizado com a PRESTEZA, COLABORAÇÃO e PARCERIA do sr. LUIZ ANTONIO, secretário de obras da Prefeitura com a Associação, comunicamos com a secretária na segunda feira, dia 1 de novembro o entupimento do bueiro na entrada da Granja, e logo no dia 3 ele mandou uma equipe provendenciar o conserto e revisar dos os entupimentos dentro da GRANJA GUARANI, isso sim é parceria queremos que continue assim, que elogiarei sempre que isso acontecer e criticarei sempre que pedirmos e não formos atendidos. Obrigado Secretário. E VOU COLOCAR O NOME PARA QUE TODOS SAIBAM QUE EU NÃO SÓ SEI BATER. ARMINDO COELHO

    ResponderExcluir